domingo, 8 de agosto de 2010

SEIXO da BEIRA.

Pequena vila, situada a 20 Kms da sede do concelho, possui referências que remontam ás inquirições de 1258, de onde se retiram conclusões de ter pertencido á Ordem de Avis. Há mesmo indicações de ter recebido foral ou carta de foro por algum dos comendadores seus senhorios. D. Manuel I outorgou-lhe foral novo a 9 de Fevereiro de 1514.
Tendo possuído estatuto municipal, perdeu a qualidade de concelho quando foi integrado no de Ervedal da Beira por Decreto de 6 de Novembrode 1836, Chamava-se então Seixo do Ervedal. Com a extinção do concelho do Ervedal da Beira, a 24 de Outubro de 1855, transitaram ambos para o concelho de Oliveira do Hospital, cuja situação hoje se mantém. Pelo decreto nº 15005 de 7 de Fevereiro de 1928, a povoação de Seixo do Ervedal, foi elevada á categoria de freguesia, passando a denominar-se , Seixo da Beira.
Seixo terá tido origem no topónimo Saxo.

sábado, 7 de agosto de 2010

Seixo da Beira ( Oliveira do Hospital )
Anta da Arcainha ----Classificada como imóvel de Interesse Público, a Anta da Arcainha, também conhecida por Dolmen de Seixo da Beira é um interessante monumento megalitíco, recentemente restaurado.
Pensa-se que o monumento tenha sido construído no final do período Neolítico, tendo as escavações e estudos arqueológicos posto a descoberto fragmentos cerâmicos, vasos com forma própria e decoração típica do período entre o final da Idade do Cobre e início da Idade do Bronze.
A Anta da Arcainha é constituída por câmara poligonal e corredor relativamente comprido, que conserva ainda a laje de cobertura e a mamoa envolvente.
Seixo da Beira ( Oliveira do Hospital )
Anta da Arcainha
Seixo da Beira ( Oliveira do Hospital )
Anta da Arcainha
Seixo da Beira ( Oliveira do Hospital )
Anta da Arcainha
Seixo da Beira ( Oliveira do Hospital )
Anta da Arcainha

Bobadela ----- Um museu a céu aberto.

BOBADELA ( OLIVEIRA do HOSPITAL ) ---- Uma bonita povoação, cheia de conteúdo histórico, do concelho de Oliveira do Hospital, com cerca de 5,96 Kms2 de área e 761 habitantes.
Bobadela, remonta o seu inicío como povoação, ao período Neolitíco, comprovado pela existência de uma Anta ( Anta do Pinheiro dos Abraços ), situada á cerca de 2 Kms da povoação, mas, sem duvida, que a grande ocupação foi feita pelos Romanos, como comprovam os enormes vestígios aqui existentes.
O símbolo mais notável da presença Romana, é sem dúvida, o Arco, que se situa em frente da Igreja Matriz. Aqui era o fórum, a praça pública da cidade Romana, com templo dedicado a Neptuno, espaços de justiça, de reunião, de venda, de ócio.
Um outro vestígio da presença Romana, nesta localidade, é o Anfiteatro, descoberto em 1980, por um grupo de arqueólogos. Terá sido construído na 2ª metade do Séc. I e sido destruído por um incêndio nos finais de Séc. IV.
Este vestígio romano é constituído por uma arena em forma elipsoidal, na qual ainda hoje, se pode ver a rede de drenagem das águas.
Na casa dos Godinhos, que foi da Familía Freire de Andrade, funciona hoje o Museu António Simões Saraiva. Antiga casa senhorial, remodelada no início do Séc XIX, funciona o Museu desde 1985. Possui coleções de cerâmica dos Sécs. XIX e XX, mobiliário dos Sécs. XVIII e XX, pintura, esculturas em gesso e mármore, valores etnográficos e arte romana.

Bobadela ( Oliveira do Hospital )

Anta do Pinheiro dos Abraços --- Classificado como imóvel de interesse público, a Anta do Pinheiro dos Abraços é um interessante e belo monumento do período Neolítico, descoberto em 1966, tendo sido submetida a dois períodos de escavações. Este monumento pré - histórico vem provar que esta freguesia ( Bobadela ) foi povoada muito antes da chegada dos Romanos. Faz parte do espólio encontrado no local: pontas de setas,facas de silex, machados em pedra e fragmentos cerâmicos.

Bobadela ( Oliveira do Hospital )
Anta do Pinheiro dos Abraços
Bobadela ( Oliveira do Hospital )
Núcleo Histórico
Bobadela ( Oliveira do Hospital)
Núcleo Histórico
Bobadela ( Oliveira do Hospital)
Núcleo Histórico
Bobadela ( Oliveira do Hospital)
Pormenores Históricos
Bobadela ( Oliveira do Hospital)
Núcleo Histórico

Bobadela ( Oliveira do Hospital)

Pelourinho

Bobadela ( Oliveira do Hospital)
Vista parcial do núcleo Histórico
Bobadela ( Oliveira do Hospital)
Pelourinho e Igreja Matriz
Bobadela ( Oliveira do Hospital)
Arco Romano e Pelourinho

Bobadela ( Oliveira do Hospital)
Arco Romano
Bobadela (Oliveira do Hospital)
Nucleo Histórico

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Vinhais.

Vinhais é uma vila Portuguesa, pertencente ao distrito de Bragança, Região Norte. É sede de um município com 694,68 Kms quadrados de área e 10646 habitantes ( 2001 ), subdividido em 35 freguesias.
Vinhais, situada no nordeste transmontano, é uma vila digna de uma visita por quem quer que seja. É um dos mais belos retalhos naturais --- bela, na paisagem pitoresca de tonalidades encantadoras, com uma grande biodiversidade. Vila banhada pelos rios Tuela e Rabaçal, onde a pesca da truta assume a primazia.
Zona de gentes humildes e de coração grande, calejadas pelas agruras de tempos passados, as quais se vêm estampadas em cada rosto . Rostos, onde nunca falta um sorriso, um bom dia, um bem haja. Gentes sempre prontas a abrirem as suas portas, e de oferecer o melhor que possuem a todos os visitantes, cativando todas as pessoas que por lá passam.
Como não poderia deixar de ser, não podemos deixar de falar da gastronomia desta bela região. Como seu ex-libris -- o fumeiro, que é composto por diversas qualidades, entre elas, temos o presunto, o salpicão, a chouriça de carne, a alheira. o butelo,a chouriça doce, o chouriço azedo, o chouriço de sangue, boche,e a farinheira.Mas além disto, temos o leitão e o anho assado no forno a lenha, , o arroz no forno, as cascas,a feijoada, as castanhas, o folar Pascal e o pão feito artesanalmente num forno de lenha, e para acompanhar todo este manjar, temos o célebre " VINHO dos MORTOS ", cujo paladar é indiscritível.
Como é óbvio, este nome " VINHO dos MORTOS ", despertou-nos a curiosidade, e por conseguinte debruçámo-nos sobre o assunto até que descobrimos a razão deste nome, um pouco mórbido.
Este nome " VINHO dos MORTOS ", remonta á altura das invasões francesas. Como é do conhecimento geral, os Franceses, por onde passavam, pilhavam tudo o que encontravam, por isso as gentes dessa altura, proprietários de poucos averes, resolveram enterra-los , nomeadamente o azeite,o vinho, nos cemitérios ...... mais tarde, quando regressaram, foram desenterrar esses averes, e repararam que o vinho tinha outro sabor, assim como também estava gaseificado. Sendo assim, na actualidade, as adegas, que na generalidade são térreas, existe um espaço reservado, onde enterram durante um determinado tempo, o vinho devidamente engarrafado, o que proporciona a gaseificação, fazendo com que este " Néctar dos Deuses " tenha um excelente paladar e aroma.

Vinhais ----- Vista panorâmica do Santuário de Sto. António.

Vinhais ----- Jardim Municipal.

Vinhais ----- Vista do Jardim Municipal e Palácio da Justiça.

Vinhais ----- Edificío da Câmara Municipal.


Castelo ( Vinhais ) ----- O Castelo de Vinhais, foi provávelmente, construído no reinado de D.Dinis. Este castelo teve intervenção activa na crise de 1383, iniciada com a morte de D. Fernando. Sem deixar herdeiros masculinos, a sua filha, Dna. Beatriz, casada com o Rei de Espanha, reclamou o trono português, o que significava a perda da independência.Face á possibilidade de subirem ao trono. o filho de D. Pedro I e Inês de Castro, a viver em Castela, ou D. João, Grão Mestre de Avis, filho de D.Pedro I e da aia de Inês de Castro, Teresa Lourenço, optou-se por D.João, o que originou uma guerra com Castela. Vinhais tomou o partido de Dna. Beatriz, o que fez com que o Castelo tivesse sido ocupado pelas forças Castelhanas, no entanto, mais tarde viria a reconhecer D. João I.

Presentemente pouco resta deste histórico monumento, sendo ele classificado como Imóvel de Interesse Público.

Vinhais ( Igreja do Seminário ou Igreja da Nossa Sra. da Encarnação ) ----- Este templo, pertenceu á Ordem dos Franciscanos e foi construído em 1751, por José de Morais Sarmento, fidalgo da Casa Real.
Nesta Igreja, junto ao altar-mor, pode-se ver uma escultura em madeira da imagem da Nossa Sra. da Encarnação, e no frontão exterior da igreja , uma outra em granito. No interior do átrio, ao lado da porta principal encontram-se duas lápides em granito gravadas, com a seginte inscrição: "Fundou este Seminário, José de Morais Sarmento, fidalgo da Casa Real, Mestre de Campo, e natural desta vila de Vinhais, no ano M D C C L I. Cedeu o padroado dele nas mãos de Sua Majestade, e faleceu no ano M D C C L X I I." Na do lado esquerdo lê-se:" Sua Majestade Fidelissíma aceitou o padroado deste seminário, e tomou para sempre o seu real nome no de todos os seus sucessores, debaixo da sua régia e imediata proteção, no ano de M D C C L X X V I I. " No seu interior está sepultado José de Morais Sarmento .

Vinhais ----- Fontanário.


Vinhais ----- Capela de Sto. António.

Vinhais ----- Vista de montanhas circundantes.
Vinhais ------ Aspecto de uma rua comercial.


Vinhais ------ Capital do Fumeiro

segunda-feira, 11 de maio de 2009

Os primeiros oito dias de férias !!!!!!!



Olá Amigos ( as ):

É com enorme satisfação que de seguida, iremos fazer uma retrospéctiva do que foram estes primeiros oito dias de férias, passados na zona do Alto Douro, zona esta, que peca únicamente por estar demasiadamente longe do nosso local de habitação.
Foram oito dias, em que a descoberta de novos encantadores locais, imperou.
Sem dúvida, locais de uma invulgar beleza e riquissímos no seu passado histórico .....
Não podemos deixar de destacar, o maravilhoso e aprazivel local, onde estivémos hospedados, e que desde já, o recomendamos vivamente. Esse local tem por nome, " Quinta das Quintãs ", situada em Mirão, concelho de Baião, distrito do Porto. Quinta, que faz juz, á arte de bem receber, como foi por nós verificado na maneira como fomos recebidos pela Dna. Helena e Dna. Manuela ( colaboradoras da Quinta das Quintãs), a quem desde já enviamos os nossos maiores agradecimentos.
Além do saber receber, existem outros predicados, que seria injusto que não fossem enunciados. É uma Quinta de uma enorme beleza com uma soberba paisagem sobre o Rio Douro, em que impera a tranquilidade,a paz, o sossego e o contacto com a natureza, na verdadeira essência da palavra.
Por tudo isto que acabei de enunciar, achei" de bom tom ", deixar alguns contactos desta maravilha, para que no caso de a quererem visitar, o poderem fazer, pois estou certo de que não se irão arrepender disso.

Telf. 254 882 269
Mail : quintadasquintas@gmail.com
Google : Digitar " Quinta das Quintãs "

Mas deixemo-nos de mais adjectivos, deixemos que as fotos e legendas a seguir expostas falem por si.
Fazemos votos de que esta partilha das nossas férias, sejam também do inteiro agrado de todos aqueles que visitam e visitarão este nosso espaço, que é unicamente dedicado a todos vós.
A todos os que visitaram e visitarão este nosso espaço, o nosso maior agradecimento .
Bem hajam.

A Quinta das Quintãs !!!!!

A Quinta das Quintãs, data dos fins do séc. XIX, e surge da junção da Vinha do Rechão, o Vale da Grade, das Quintãs de Cima e das Quintãs de Baixo, ficando assim constituída uma quinta de enormes dimensões, situada no Concelho de Baião, entre Santa Marinha do Zêzere e a Fundação Eça de Queiróz ( Tormes ).
Nesta enorme quinta foi construída uma casa, cuja construção foi terminada em 1904, como atesta a data gravada por cima da porta principal. Estas mesmas obras foram mandadas realizar pelos seus proprietários, a Sra. Dna. Maria Clotilde de Azeredo Leme de Sousa e Menezes e seu marido, Adriano de Abreu Bandeira Monteiro Subágua da Costa.
Presentemente, esta casa e todo o seu maravilhoso espaço envolvente, foram reconstruídos , transformando-se num belo e aprazível Espaço de Turismo Rural, em que são dignificadas a Vida e a Paisagem.
Esta reconstrução deve-se aos actuais proprietários, Dna. Joana Azeredo e seu marido, Sr. Eng. Carlos Miguel Azeredo, aos quais, desde já os felicitamos e lhes desejamos as maiores bem- aventuranças.

domingo, 10 de maio de 2009


Quinta das Quintãs ( Baião ) --- Data da construção da Casa das Quintãs.
Casa com um riquissímo passado em valores Humanos e Sociais.

Quinta das Quintãs ( Baião ) --- Entrada da Casa das Quintãs.

Quinta das Quintãs ( Baião ) --- Fachada nascente da Casa das Quintãs.

Quinta das Quintâs ( Baião ) --- Fachada poente da Casa das Quintãs.

Quinta das Quintãs ( Baião ) --- Pormenor da Casa das Quintãs.

Quinta das Quintãs ( Baião ) --- Vista da fachada poente da Casa das Quintãs.

Quinta das Quintâs ( Baião ) --- Varanda onde se poderá desfrutar de uma agradável e boa leitura de uma obra de Eça.

Quinta das Quintãs ( Baião ) --- Varanda onde se pode tomar um divinal e apetitoso pequeno almoço, desfrutando de uma soberba paisagem sobre o Rio Douro.

Quinta das Quintãs ( Baião )

Quinta das Quintãs ( Baião ) --- O desfrutar de uma enorme paz, sossego, tranquilidade, com tamanha beleza natural.
Quinta das Quintãs ( Baião ) --- Fachada lateral do apartamento T1, onde ficámos instalados


Quinta das Quintãs ( Baião ) --- Apartamento T1, onde ficámos instalados.

Quinta das Quintãs ( Baião ).

Quinta das Quintãs ( Baião )

Quinta das Quintãs ( Baião )

Quinta das Quintãs ( Baião ).

Quinta das Quintãs ( Baião )

Quinta das Quintãs ( Baião ) --- Parque infantil.

Quinta das Quintãs ( Baião ).

Quinta das Quintãs ( Baião ).